Aventuras de uma mãe



A tarde pardacenta e chuvosa, fazia descer sobre o céu um manto de névoa espesso e pesado, o hotel na zona nobre da baixa da cidade tinha a patine glamourosa ofuscada pelo tempo incerto dos últimos dias, mal o táxi parou junto ao pórtico feérico de néones, a mão coberta pela luva branca do porteiro imponente na sua farda aprumada abriu a porta com um sorriso no rosto, Mimosa desce, as suas pernas emergem num gesto tímido. Os olhos admiram o majestoso edifício de ferro e vidro, o enorme átrio estende-se reluzente no mármore polido, atrás do balcão de arenito, uma atraente e adestrada jovem loira sorri para ela, com um impulso estendo-lhe o envelope, arqueando a sobrancelha a rapariga observa a folha.
O senhor Rony está à sua espera!
Diz sem tirar os olhos da carta ao mesmo tempo que lhe indica a porta em frente, o elevador sobe veloz galgando andares, o som da campainha anuncia o décimo quinto piso, ao fundo do corredor outra jovem espera por si, sem uma palavra a loira número dois franqueia-lhe a porta com um sorriso.
Rony está sentado atrás de uma grande secretária de madeira escura, todo o escritório é enorme para uma pessoa só, as janelas sobem do chão ao tecto, em volta as paredes brancas estão cobertas por telas com imagens sugestivas de corpos nus em tons cinza suaves, todo o ambiente é limpo e clínico. Mimosa ajeita a saia azul mais curta que o habitual do saia-casaco sóbrio que traz vestido ao sentar no cadeirão de couro bege os olhos cruzam numa cumplicidade natural, intrusa num mundo que desconhece. A loira platinada surge pisando a alcatifa em passos firmes pavoneando as ancas num requebro provocante pousando uns papeis sobre o tampo negro num gesto profissional, a saia exígua parece pendurada nas suas longas pernas como um acessório quase inútil mal lhe cobrindo o traseiro, e ela com pruridos por a sua subir bem acima dos joelhos ao sentar como é o caso, longe da figura esbelta e aprumada da rapariga a verdade é que apesar da idade mantinha as curvas bem definidas escondidas atrás do seu ar modesto e recatado, mal a loira sai tenta puxar a saia, o gesto é inútil pois o pano não estica como é natural, conformada desiste, o facto parece agradar ao seu interlocutor que admira as suas coxas com devoção, o silêncio que domina o momento é mais incómodo que sentir-se observada daquele jeito, Rony levanta-se dá dois passos até junto da janela ficando imóvel com as mãos nos bolsos, a vista da cidade lá em baixo prolongando-se a perder de vista parece hipnótica, Mimosa junta-se a ele, os dois ficam lado a lado com o olhar perdido na feérica cintilante a perder de vista.
Chegaste atrasada! Já te esperava faz tempo!
O táxi levou uma eternidade no trânsito que posso fazer? Nada!
Responde justificando-se.
Cá de cima, tudo parece diferente repara!
Mimosa acena com a cabeça numa concordância tácita, face a face o olhar cruza-se ficando a pairar no vazio, as palavras parecem por instantes de todo inúteis, Rony segura-lhe os pulsos conduzindo os braços dela acima da cabeça apoiados contra a vidraça o gesto aproxima os rostos numa intimidade cúmplice e calorosa, com parcimónia pousa os lábios na face dela num beijo suave.
Aposto que anseias por uma foda tal como eu?
Libertando-se Mimosa sem uma palavra puxa a saia e faz deslizar as cuecas vagarosamente pelas pernas abaixo ficando a exibi-las balançando suspensas no indicador apontado em riste na face dele, Rony afaga dedilhando a renda até achar a humidade da porção que cobre a vagina levando-as aos lábios lambe apreciando o sabor, depois o cheiro lançando-as para o chão. Bruscamente regressa à cadeira e fica a mirá-la, com as mãos postas em concha.
Abre as pernas!........toca-te na cona!........isso enfia os dedos!........fode!.....fode-a para mim!
Estás a foder?
Sim!.....estou!......olha!.........vê!...... Estou a foder a cona para ti!.....
Repete ela sem deixar de dedilhar o grelo de forma ritmada num chapinhar ruidoso em pé na frente dele, depois tira a blusa com um gésto lento a seguir o sutiã, com as mãos abertas aperta as mamas afagando-as suavemente ao mesmo tempo que meneia os quadris, desfazendo-se da saia, exibe-se nua rodando num requebro dengoso e pervertido.
Inclina-te sobre a mesa aqui ao pé de mim!....... Afasta as pernas!............ Quieta!......quieta!.....issso!
Dobrada sobre a secretária com o rabo empinado, ela fita-o em silêncio, seu corpo move-se num requebro lento ondulando as ancas, Rony ergue-se, segurando-a por trás acompanhando o balanço num encosto suave, enquanto isso lentamente a roupa vai sumindo peça a peça até ficar nu.
Queres? Não queres?
Sim Sim!.....sim!.... quero!   
Paff paff paff pafff paff paff!
Haaahhhaaaiii! Haaahhhaaaiii! Haaahhhaaaiii!
Tranquilamente Rony aplica-lhe dez palmadas em cada nádega deixando-as vermelhas, depois mete a mão entre as coxas acariciando-lhe a cona melada, enfia dois dedos tira e coloca na boca dela.
Limpa!
Ordena, Mimosa abre os lábios receosa lambe e chupa-os saboreando o gosto da sua vagina.
Chupa!
Diz colocando a cabeça do membro teso junto ao rosto dela, que obediente abre a boca engolindo e chupando com vontade.
Shlrup shlrup shlrup shlrup!
Isso! Chupa! Vá mama! Isso! Engole-a toda vá!
Repete Acariciando-lhe a face.
Quase no limite retira o membro rodeando-a, as mãos fixam-se na cintura dela, o impulso provoca o encosto total dos corpos.
Haahhha!
Suspira, como se o esperasse a vida inteira o membro intumescido resvala nos pelos ásperos e cuidados da zona púbica em busca da entrada da vagina forçando os lábios.
Ahhhaaaaiii!....... Nãooo!.......aaahhhaaaii….nãoooooo!......fodaaaaa-se! Vai agoraaaa!
Calma!........ Vais-te dilatar profundamente observa! Vê como a cona abre toda olha!........olha!....
Sossega Rony impulsionando as ancas com vigor, o movimento leva-o para dentro dela de uma só vez, o afago cremoso das paredes vaginais acomodando-se e sugando o membro invasor acicata a tesão ao infinito.
Sock sock sock sock.
Apoiada no tampo, Mimosa ajeita os quadris a cada mergulho do membro teso dentro de si acompanhando o balanço ao sabor do vaivém veloz das estucadas, deslizando fulgurante e impetuosa a haste acelera detendo-se para recomeçar de novo, enlaçada pelo pescoço roda, frente a frente agora é içada sobre o móvel, penetrada de novo balança de pernas abertas as mãos cruzadas pendurada no pescoço dele, cada arremetida é agora mais forte que a outra fazendo a vagina regurgitar num chapinhar molhado repetido.
Shap shap shap shap!
Cada foda é um momento de tesão voraz, Rony está prestes a chegar ao momento desejado tomado de gostosos arrepios ao longo da espinha, uma duas fodas mais fogosas sacodem Mimosa que trémula e agitada sente chegar o momento.
Haaaaaiiiaaaa!
O grito que sai dos seus lábios ofegantes faz desabar o seu corpo ao mesmo tempo que Rony solta esguichos quentes e viscosos inundando-a numa onda vigorosa.
Mal a haste se solta ainda a pingar, ambos correm em busca das roupas, Mimosa compõe ainda a saia sobre as coxas com movimentos apressados num disfarce pouco convincente quando a loira entra, a chegada da secretária naquele preciso instante parece agradar a Rony glosando com a situação pois as faces vermelhas de ambos não deixam duvidas quanto ao que estiveram a fazer.
A senhora sua mãe deseja tomar algo senhor Rony?
Obrigada Cátia!
A rapariga faz uma vénia perfilando-se depois aproxima-se e beija Mimosa nos lábios suave e longamente.
A esbelta figura afasta-se fazendo soar os saltos altos em passo cadenciado poc poc poc poc.
Mimosa segue-a com o olhar num misto de curiosidade e surpresa aquilatando o gésto dela.
São todas umas grandes putas as mulheres!
A frase nunca foi tão factual não achas?
Ela encolhe os ombros de regresso à cadeira afastando as pernas exageradamente, a saia curta fica amarfanhada quase junto à sua barriga permitindo uma visão generosa sobre o monte papudo ainda húmido da cópula, conhecedora dos agrados do filho sempre deliciado em espreitar para o meio das suas pernas faz gáudio em que ele o faça à sua vontade.
Continuas um mimo a foder!......uffa!......... livra fiquei toda espapaçada!.........olha para isto?.......... toda suja!........
Lamenta com fingimento na voz acariciando-se entre as coxas num gesto matreiro e provocante.
Atarefada Mimosa dá os últimos retoques na toallete junto ao espelho, o vestido de cerimónia todo em seda cor de ouro é sem duvida arrojado, o longo decote nas costas quase até ao rabo revela o inicio do rego marcando as nádegas, a racha subindo até à virilha deixa-lhe a coxa direita bem à vista espreitando a cada passo indecorosa, sem ombros os seios são duas maçãs oferecidas aos olhos a espreitar no tecido, macios e empinados no peito, elegante no corte assenta-lhe como uma luva, observa mirando-se mais uma vez, Rony aproxima-se rodeando-a pela cintura.
Abre a boca!
Diz, colocando duas pequenas esferas douradas sobre a língua dela, que as chupa como duas amêndoas, a mão forte dele no seu pescoço acompanha os movimentos do queixo incitando a que depois de saboreadas as deposite na palma da sua mão aberta, com serena vontade Rony levanta-lhe o vestido atrás e abaixa-lhe as cuecas para os joelhos, explorando-a entre as coxas, acaricia o monte fendido introduzindo-lhas na vagina suavemente.
Ahhhhiiiaaa!
Schiu! Vais gostar de as ter assim dentro de ti…….a sensação vai-te deixar com tesão o tempo todo!
Exclama recolocando-lhe as cuecas no sítio, ao mesmo tempo que duas palmadas no rabo agitam as nádegas fofas com vigor.
Paff paff!
Agora estás pronta!
Segreda compondo-lhe o vestido.
Estou pronta?.................Eh?
Na sala cheia de madames chiques e empertigadas Mimosa desfila no braço de Rony como qualquer uma namorada ou esposa faria.
Eu sei quem a senhora é!
Esse já o fiz esporrar-se milhares de vezes!......
O riso da mulher é cínico e despeitado.
Anda a foder consigo?......... Pobre criatura!...... A sua cona não o faz vir como a minha!........ A si falta-lhe estofo na cama minha querida! …………só uma verdadeira puta na acepção da palavra com a cona batida e experiente o faz esporrar e gemer noites a fio!
Segreda a morena de porte maduro e arrebitado em ar de desafio.
Perdi alguma coisa senhoras?
Exclama Rony apresentando-as.
Madame Vanessa!.......... Mimosa!
Sei bem quem ela é!
Responde esta última enfrentando a morena torneada no seu vestido importado carmim colado ao corpo, a bem dizer a Madame é uma sombra que povoa a sua mente, a miúde se vê em sonhos sendo açoitada por ela ao lado de Rony os dois nus de gatas sobre o sofá no apartamento que a Madame usa para os seus vícios secretos no subúrbio da cidade, invariavelmente lá os dois eram submetidos aos seus desejos, feitos escravos, acabando penetrados no rabo à vez num final de sonho sempre igual.
As bolas dentro da vagina mantém a tesão viva a cada movimento do corpo, evoluindo entre os convivas Mimosa sente fruir calores molhada entre as pernas num gosto estranho que se adensa a cada minuto que passa, consciente do facto Rony arrasta-a para os lavabos masculinos sem que ninguém veja, lá dentro Mimosa roda nos braços do filho beijada na boca com fulgor num entrelaçar de línguas voraz.
Queres?.............. Não queres?
Sim!....... Tu?... sim………. Quero sim!........ Sim!....sim!
Suspira em frente ao espelho reclinada sobre a pedra com o vestido arregaçado na cintura manobrada por ele, que lhe retira as esferas da vagina com os dedos num gésto cuidado, passeando-as entre o polegar e o indicador por um segundo antes de lhas introduzir uma e depois a outra na cavidade anal pressionando o indicador de forma a fazê-las sumir no cu dela.
Ahhhhhaaiiii! Nãoooo!
Cala-te!.......paff paff paff paff paff!
A mão aberta desfere vigorosos açoites agitando as bochechas de forma alternada.
Gostas?
Simm…….!
Murmura sacudida pelas palmadas fustigando-lhe as nádegas com vigor.
E agora? Que é que queres que faça a seguir?
A foda!..... Agora a seguir a foda!....... Fode-me anda!
Queres que te foda?
Sim……quero!...... Fode-me!......... Fode-me toda!
Exclama erguendo os quadris arqueando-se com o rabo empinado ansiosa, Rony coloca o preservativo igual ao que faria para foder uma qualquer desconhecida apontando a glande nas bordas babadas da vagina entrando nela com uma estocada seca.
Toma-a toda! Aí a tens toda na cona!.....toma! toma!......toma-a toda! Toda!
Simmmm! Enfia-ma issoooo!
Geme Mimosa presa pela cintura, sacudida pelas fodas, o seu rosto quase toca no espelho a cada investida, como se impõe a foda tem de ser rápida e curta naquele sítio público.
Vamos!....vamos vem-te!....fode! ….Fode com a cona!.....mexe-te! Isso! Assim!...asssim!
Agitada ela vem-se num coro ofegante incapaz de conter as contracções anais repetidas nas esferas metidas no cu num gosto redobrado que se espalha como uma onda, Rony fode rápido e com força uma e outra vez a esporra esguicha na borracha inflando o preservativo dentro da vagina.
Já está?
Já!
Suspira, lesto retira o membro, a mão dela auxilia a puxar o látex colocando ela mesmo a haste de novo dentro da cona agora sem protecção afim de aparar os derradeiros jorros dentro de si.
Toma! Toma!.....assim!....toma!
Suspira ele saboreando o gosto da cona a sugar em contracções suaves, o tempo urge impondo a quebra do engate de forma definitiva, ofegante Rony dobra-se sobre a pedra do lavatório enquanto ela retira as esferas do cu e as mete no dele uma após outra num gésto cuidado, consumada a troca de novo entre os convivas Rony exibe Mimosa desfilando no seu braço luxuosa e cheia de glamour, as esferas agora enfiadas no seu cu mantêm a sua haste tesa apertada no pano das cuecas num enchumaço que se revela a cada movimento.
As porcas não tiram os olhos de ti! Olha como ficam embasbacadas a olhar para o meio das tuas pernas?
As conas das Madames desta Cidade são como animais famintos sempre em busca de carne tesa!
Ri a senhora idosa de rosto vermelho vincado da maquilhagem exagerada no seu vestido elegante de um costureiro afamado.
Não se amofine ele não se deixa levar por elas, é um apreciador requintado das mais maduras, as nossas conas tem um encanto que as delas não conseguem alcançar acredite!
Prossegue sugando o gargalo da garrafa de gin vazia com os olhos cerrados como se fosse um pénis, os lábios entreabertos movendo-se no vidro empurrado contra a garganta até se engasgar, depois solta uma gargalhada.
Não quer experimentar?.......há!..........entendo, Aposto que gosta mais de chupar a dele?........... Somos todas iguais!...........nesta cidade milhares de mulheres chupam caralhos a qualquer momento!........... Agora mesmo quantas estão com as bocas cheias a mamar afincadas? Prostitutas, madames, velhas, novas, meninas?
Enquanto fala afasta o decote expondo as mamas totalmente.
Hummm!...... Sim!...... Com força!......gosto com força!.....com força!......toda enfiada com força!.....a senhora não?.....aproveite!.....arreganhe a cona e aproveite sua tonta!....
Murmura dengosa ondulando-se na frente de ambos, depois afasta-se.
Quem é a figura?
Uma velha conhecida que adora chupar conas como a tua!
Segreda Rony com malícia, meio a sério meio a brincar, Mimosa faz uma expressão intrigada, com a revelação do filho sem tempo para mais conjecturas vê-se a braços com nova ameaça levada gentilmente pelo braço para uma sala contígua fugazmente mobilada.
Tira as cuecas!
A ordem de Rony é cumprida de imediato, com um movimento lento ela fá-las deslizar pelas coxas abaixo retirando-as por completo, sem deixar de o fitar deposita-as na mão dele.
Ajoelhe-se e dispa-o!
A voz nas suas costas causa um sobressalto súbito nos seus sentidos, reconhecendo de pronto o inconfundível timbre arrogante da Madame Vanessa, no meio da surpresa algo a insta a obedecer, arriando as calças de Rony sem hesitar junto com as cuecas, hirta de joelhos na frente dele observa o membro semi-erecto com fascínio numa contemplação embevecida quase torpe, o encanto é quebrado pela voz da Madame.
Examine o pénis dele senhora!.... Vamos diga como o sente na sua mão!
Está a ficar cada vez mais duro!....mais teso!.....a cabeça incha ao toque dos meus dedos!.......
Pergunte se ele gosta!
Gostas que te mexa assim nela?
Fala movendo o punho em círculos sobre a glande erguendo os olhos para ele por um momento, Rony acena agradado, Mimosa prossegue agora punhetando carinhosa com os dedos deslizando ao longo da haste num vaivém suave obtendo com o movimento uma erecção violenta e pujante do membro do filho, Madame Vanessa observa com uma expressão de escárnio.
Pobre tonta!.....não o vai fazer vir pois não?.......imagine se ele se esporra na sua cara?........que vergonha!
Debocha, três jovens nuas entram sorridentes e sem mais delongas colocam Rony ao comprido sobre a mesa rasteira ao centro enquanto vão tecendo comentários sobre o membro teso que ele empina em direcção ao tecto.
Qual escolhe para ser a primeira?
Inquire a Madame, perante o ar pasmo de Mimosa, que maquinalmente aponta a jovem de rabo-de-cavalo loira, com um risinho de desafio em relação às outras a moça alça a perna e aninha-se na haste sem hesitar guiando-a com a mão para dentro da cona, faz uma cara de tesão ao senti-la entrar fitando as outras, montada a preceito move os quadris deliciada fodendo num sobe e desce compassado.
Shock shock shock shock!
Rony! Podes esporrar quando tiveres vontade! Ahahahaha! Vamos ver se te aguentas para a Mamã?
Ri a Madame incitando a jovem a prosseguir logo substituída pela colega, uma a uma elas vão enfiando o membro na cona dando a provar a Rony o gosto das suas vaginas perante o olhar silencioso de Mimosa, assistindo às esporradelas de Rony nas conas delas incapaz de resistir à ordenha das vulvas sumarentas e latejantes.
Maravilhoso!..... Oh! Madame! ……..Maravilhoso!
Grita a mais roliça delas todas vindo-se toda.
Espectacular! Uuiii! Espectacular! caralho! caralho que foda! Aaaaiiii!
Urra momentos depois outra, as raparigas vem-se como gatas no cio, a Mimosa é dada a vez de finalmente se aninhar na haste já semi-erecta afim de colher os derradeiros vestígios de esporra que restam nos testículos de Rony.
O manequim junto à janela imita na perfeição o corpo e as formas femininas, as curvas do rabo desenham as nádegas firmes na textura do mármore, ajoelhado, Rony nu da cintura para baixo faz deslizar a sua língua nas formas do rego como se lhe lambesse o cu, Mimosa de pé junto à ombreira da porta assiste em silencio, como lhe foi ordenado pela Madame veste uma mini-saia bem curta de ganga, meias de renda até à coxa, umas minúsculas cuecas de seda negra profundamente enterradas nos lábios da vagina à frente e no rego atrás, sobre os ombros um tope traçado sobre o pescoço, numa toilette estilo puta vadia.
A Madame tem um sorriso perverso nos lábios enquanto segura na mão a corrente prateada que emerge entre as coxas de Rony atada na base do membro erecto, com um puxão fá-lo gatinhar na direcção da mãe, empoleirada no cimo dos saltos altos de bico Mimosa roda e arregaça a saia oferecendo o traseiro ao filho numa pose provocante ao mesmo tempo que afasta as cuecas, Rony, intimado pela Madame passeia a boca entre as nádegas da mãe lambendo-a igual ao manequim.
Estica a língua!......... Vamos!......... Estica bem essa língua!....mais! mais!.....lambe-lho cu! Vamos lambe!.....mexe isso! Fode-lhe o ânus como se fosse uma coninha!....isso!... lindo! …Enfia a ponta bem fundo no cu dela!
Então mamã está a gostar?........... Está a gostar dos beijos do seu menino no seu cu?............. Sua porquinha?........... Vamos! Responda!
Sim! Oh! Sim gosto! Lambe filho lambe! Chupa-me o cu Rony! Ooooooh! Ooooh!
Geme Mimosa respondendo à Madame, Vanessa coloca a extremidade da corrente na mão dela incitando-a a puxar Rony fazendo gatinhar atrás dela, puxado por aquela trela atada na haste ele segue os passos de Mimosa bamboleando-se pendurada nos saltos altos.
Poc poc poc poc!
Junto à lareira, Rony deita-se sobre a mesa abrindo as pernas como uma senhora, expõe o membro erecto apontado ao tecto, Mimosa pega nele e bate à punheta rodando os dedos sobre a glande.
Está com tesão mamã?
Estou Madame!
Quer foder com o seu menino?
Oh sim Madame quero! Quero Foder quero!
Acredito! Mas não vai Não!! A sua cona vai ter de esperar!
Ri Vanessa! Afastando Mimosa, pega Rony pela mão.
Vem à mamã Vanessa anda filhote!
A sua voz é áspera e arrogante, chegando-se a ele aperta o membro entre os joelhos com força.
Não, não! Espera! Agora! Vá! Fode! Vamos, fode as minhas pernas! Vamos mexe o caralho como tu sabes mostra para ela como gostas da mamã Vanessa mostra!
Ssimm! Sim oh! Madame! Sim, eu fodo-a! sim eu fodo-a toda! A senhora manda! Sim! Sim!
Murmura Rony entre gemidos acariciando as pernas esguias de Vanessa movendo os quadris, impulsionando a haste tesa num vaivém ansioso.
Lindo! Gostas de me foder Rony? Gostas de me foder assim? Gostas?
Oh sim! ….Sim! ……..Estou a fazer bem? ……..Estou a fazer bem assim? ……Estou? ……Madame?
Sim, ……contínua bebé…………. Desliza a tua coisa entre as minhas pernas isso!............... Faz!............... Faz!..... Eu sei que tu gostas! Fode! Vai fode!......és um menino obediente não és?
Sou sim!..... sou madame!
Eu sei! Eu sei! Queres me foder na frente dela não queres? Sim eu sei que queres! Queres foder a Vanessa na frente da tua mamã! Não é?
É Sim! É Sim! Sim sim!
Beija-me a cona! Isso! Faz um minete bem feito! Lambe o grelo da mamã Vanessa! Lambe!
De gatas no chão, Rony suga a vagina usada e batida da Madame na frente de Mimosa, que observa em silêncio sem ousar uma palavra ou gésto.
Queres-me foder a cona Rony? Pede! Vamos, pede!
Sim Madame!...oh! Por favor Deixe-me Foder-lhe a cona madame! Por favor madame! Por favor!
Repete enquanto Vanessa preguiçosamente se deita sobre a mesa com as pernas abertas empinando o monte fendido e papudo para ele, com a mão ela conduz o membro teso para dentro da cona acolhendo Rony entre as suas coxas, a foda é breve, ansioso e sensível devido à tortura da espera forçada vem-se esguichando dentro da Madame que ri desbragada glosando a situação, Mal ele se retira da vulva funda ajoelha aos pés dela, Mimosa faz o mesmo do lado oposto, com as mãos abertas sobre a nuca deles Vanessa guia as suas cabeças beijando-a no rabo um de cada lado, submissos mãe e filho agitam as línguas esticadas lambendo o ânus da Madame com chupões sonoros.
Chulrrup! chock! chock! Chulrrup! shock bock!
Isso! Lindos! Vamos! Gosta do meu cu Mimosa?
Ssimm! Sim! Gosto Madame!
Responde ela com rosto vermelho um misto de vergonha e excitação.
Agora na cona! Vamos os dois! Mexam as línguas poltrões! Vamos Mimosa lamba-me o grelo! Chupe! Vá isso assim porquinha! Mostre ao menino como se lambe uma cona! Isso! A mamã e o filhote a chuparem a cona à dona! Isso!
Gostam não gostam?
Sim Madame!
Suspira Rony,
Sim Madame!
Murmura Mimosa.      
Por momentos o silêncio reina apenas quebrado pelas bocas ofegantes.
Estremunhada Mimosa desperta do sonho.

Sentado no sofá com o braço sobre os ombros de Mimosa Rony apalpa-lhe uma das mamas por dentro do vestido, a conversa flui trivial, como entre marido e mulher, Mariana sentada em frente sorri matreira.
O seu querido está bem ensinado!
Diz.
Mimosa fita-a por um segundo, solta uma gargalhada e beija Rony na boca.
Mariana dirige-se aos dois e pega-lhes nas mãos sugerindo que passem ao quarto, levados por ela entram, uma grande cama de casal onde cabiam à vontade dois casais espera-os, afastando a colcha, Mariana atira-se para cima do colchão erguendo as pernas ao alto deixando ver que não usa nada por baixo do vestido e com um dedo chama Mimosa, que tímida se aproxima inclinando-se, as mãos de Mariana puxam-na e de pronto se dirigem para as pernas dela afagando-as lentamente por debaixo do vestido ao mesmo tempo que aproxima o rosto do de Mimosa, o primeiro beijo acontece num leve toque de lábios, que de imediato se transforma num beijo intenso de bocas coladas, a cena provoca em Rony uma erecção enorme, observando-as aos beijos apalpando-se mutuamente de forma sôfrega, vai-se despindo, nu junta-se a elas começa por tirar a roupa de Mimosa ao mesmo tempo que as apalpa e beija, ocupando-se de Mariana tira-lhe o vestido deixando-a nua, a senhora abraça-o e beija-o na boca com fogosidade enquanto a seu lado Mimosa observa masturbando-se com os dedos enfiados na cona, abandonando Mariana Rony dirige-se para a cona de Mimosa pousando a boca nos lábios vaginais cheios de sucos viscosos, ver Rony enrolado com Mariana tinha-a excitado bastante, ele beija e lambe a mãe a meias com Mariana, as línguas cruzam-se tocando-se a miúde trocando beijos.
Fica a ver-nos a chupar-nos uma à outra!
Segreda Mariana afastando-o, deita-se de costas encaixando Mimosa sobre ela, ergue o rosto entre as coxas dela beijando-a na cona de pronto as duas começam a lamber as vaginas uma à outra com sofreguidão.
Faz-lhe um botão de rosa!
Murmura Mariana entre chupadelas, ele obedece e afasta as bochechas tocando o ânus com a ponta da língua, cobrindo o rabo da mãe de beijos e lambidelas, depois com o membro duro e em riste inquire qual das duas quer ser a primeira.
Não fodo com homens! Mas desta vez abro uma excepção!
A revelação de Mariana deixa-os atónitos por um instante, deitada com as pernas abertas a senhora recebe Rony na sua vagina, enfiado naquela amiga recente ele fode
Sock sock sock sock
Enquanto a haste tesa desliza na vagina veloz e bem fundo, já Mariana havia sentado Mimosa no seu rosto chupando-a na cona,
Shlrrup shlrrup shlrrup!
Nisto a porta do quarto abre-se uma voz pede desculpa pela invasão, Mariana cessa o minete e esclarece.
Calma é Lorena minha namorada!
A erecção de Rony desvanece com a surpresa, indiferente a mulher começa entretanto a despir-se deixando ficar a saia o corpo esguio e torneado dela fez voltar a tesão de Rony de mediato, Mariana entretanto já se atracara na cona de Mimosa prosseguindo o minete interrompido, a sua língua irrequieta faz com que esta comece a soltar gemidos, sem perder tempo Lorena abocanhou o membro de Rony chupando com vigor engolindo até à garganta, Mariana e Mimosa observavam entre segredos e risos a que esta ultima acena concordando, enquanto isso a boca de Lorena estava prestes a levar Rony ao limite, antes que tal sucedesse Mariana vestiu umas cuecas com um membro implantado, deitando-se de costas puxou Mimosa encavalitando-a sobre ela penetrando-a na cona com o caralho de borracha.
Foda com a cona Mimosa!
Ajeitando-se esta começou a cavalgar após alguns movimentos de sobe e desce Mariana exclamou.
Agora enfia no cu dela Rony!
Ele lubrifica o buraco anal da mãe com saliva e aponta a glande furando lentamente,
Aaaahhhhh uiuiuiui aaaaaiiii!
Gemeu ela penetrada no cu pelo filho lentamente, ele fode-a enrabando em movimentos sincronizados com Mariana fodendo ambos Mimosa em simultâneo, socada no rabo e fodida na cona não tarda a denotar uma excitação avassaladora começando a gritar.
Aaaahhhhaaaaaiii Ah há há há   Ah há há Aiiiiiii!!!!    Aiiiiiii!!!!Aiiiiiii!!!!   Ah há há hu hu hu hu ohohohohoh! ohohohohoh! ohohohohoh! ahahahahahah! ohohohohoh! ahahahahahah! ahahahahahah!
Rony fodia-lhe o cu com estocadas vigorosas fazendo a mãe gemer a vir-se toda entalada entre os dois, Lorena juntou-se fazendo a Rony um botão de rosa, movimentando a sua língua no cu dele bem enfiada no ânus, o efeito fez com que uma descarga generosa inundasse os intestinos da mãe vindo-se em fartos jorros de esporra no cu dela.
Ohohohohoh? Mãeeeemm! Uhuhuhuhu!! Mãeeeemmm! Espooooorro! Espooooorro! Espooooorro!
Depois de longos beijos Mimosa e Rony foram-se lavar, quando regressaram ao quarto Lorena estava deitada de bruços sobre a cama com a cabeça enfiada entre as pernas da namorada, Mariana torcia-se de prazer, por instantes Mimosa e Rony foram espectadores, quando acalmaram a amiga falou.
O que acha do seu querido beijar um homem Dona Mimosa?
Isso é lá com ele cá por mim não tenho nada contra!
Respondeu Mimosa, então para surpresa de ambos quando Lorena agora totalmente nua se ergue da cama revela que em vez de uma cona possuiu um membro igual ao de Rony, e que era nada menos que um transexual, a surpresa de Rony aumenta ao ver Mimosa afagar na mão o membro daquele ser chamando Rony para que se junte a eles, segurando na mão os dois membros batendo à punheta a ambos, Lorena beijou Rony na boca com sofreguidão enquanto as línguas se envolviam sugando e lambendo Mariana e Mimosa chupavam ambos sugando os membros erectos com chupões sonoros.
Shlap shlrruck shlap shlrruck shlap!
Mariana leva Rony para a cama a sua mão guia o membro teso para dentro da cona húmida, os dois começaram a foder com vigor, a seu lado Lorena coloca Mimosa de gatas e penetra-a na cona com uma estucada forte, a excitação de Rony vai ao rubro ao ver Mimosa a ser fodida por aquela Boneca desconhecida ali ao seu lado, os dois pares fodem com gosto engatados, um coro de gemidos inunda o quarto, momentos volvidos trocam de parceiro Rony enfia-se na mãe e fode-a com vigor a tesão de ambos não tem igual.
Chupa o caralho de Lorena Rony!
Diz Mariana, Lorena tira o membro da cona da namorada e perante anuência de Mimosa coloca-o junto à boca dele que se abre engolindo, Rony chupa ao mesmo tempo que vai à cona à mãe a perversão é tal que ele se vem esguichando dentro da vagina da amante materna com gosto redobrado enquanto chupa.
Quero foder o cu dela!
Diz lorena interrogando Rony com o olhar, ele concorda e Mimosa coloca-se em posição para aceitar o membro teso um pouco mais avantajado que o do filho no seu rabo, Lorena não teve dificuldade em penetrá-la habituada a enrabar homens e mulheres, a visão de Mimosa a levar no cu fez Rony entesar de novo na hora, abraçando-o Mariana lubrificou o membro de Rony e o cu de Lorena para que este a penetrasse, ao sentir a cabeça dura no ânus Lorena atirou o rabo para trás.
Aaiiiiaaaiiii! Aiiiiii!
O grito saiu da boca dela quando o buraco abriu sugando o membro de Rony que entrou nela até aos tomates os movimentos sincronizados de Rony fodendo o cu de Lorena, e esta o de Mimosa deixavam esta ultima fora de si!
Ah há há há! Ah há há há Ah há há há! Ahahahahah! Ahahahaaaaaaaaaaaaa!
Mariana pôs o aplique de cintura e colocou-se atrás de Rony.
Chegou a hora de fazer o que combinamos Mimosa!
Anunciou besuntando o rabo de Rony apontando a ponta de borracha no cu dele furou.
Há há ah ah há aiiii!
O grito de Rony não foi diferente delas quando são penetradas no cu, com o rabo cheio pela grossura da borracha.
Vou-me vir no seu cu menina Mimosa!
Gemeu Lorena esguichando no recto dela.
Aaaaahhh! Também eu! Vou-me vir! Vou espoorraaaaaarrrr!
Gemeu Rony afundando no cu de Lorena.
Esporra na minha cara pediu ela desengatando dele e de Mimosa.
Ahahahah! Ahahahah!
Fartos jorros cobriram o rosto dela jorrando do membro de Rony que continuava a ser fodido no cu por Mariana.
Agora o casal! Quero ver-vos foder na minha cama!
Rony tomou Mimosa nos braços e penetrou-a com o resto da tesão que ainda tinha, os dois foderam abraçados até que a vontade os fez vir.
Toma! Toma! Toma! Assimmm! Assimmm! Na tua cona!
Fode! Isso Ah há há há hhaahaaiii!
Fode-me toda Ah há há há hhaahaaiii! issoooo! Ahahahah! Ahahahah! Ahahahah!
Mimosa foi inundada pela esporra do filho ao mesmo tempo que os dois se beijavam apaixonadamente, quando acalmaram Mariana e Lorena tiraram Rony de cima da mãe abriram-lhe as pernas e começaram a lamber a esporra que o filho tinha deixado na cona dela Rony seguiu sentado batendo à punheta acabando por se vir ainda que de forma ténue pois esgotara a esporra.
Mimosa vira-se na cama preguiçosa, ténues raios de sol despontam sobre os telhados aclarando os edifícios revelando a Cidade aos seus olhos ensonados através da enorme vidraça, sente o corpo de Rony colado ao seu numa nudez insidiosa de mãe e filho, interrogando-se, dividida entre o sonho e a realidade


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario loucolouco

loucolouco Comentou em 08/11/2017

Uau...que loucura,fiquei cheio de tesão

foto perfil usuario anasonhadora

anasonhadora Comentou em 15/11/2014

Um verdadeiro conto erótico! Muito bem escrito e cehio de tesão! Parabéns Vanda!

foto perfil usuario adorolokuraspro

adorolokuraspro Comentou em 13/11/2014

dlç de mae sfd gostosa

foto perfil usuario anjo discreto

anjo discreto Comentou em 13/11/2014

Delicia de conto!

foto perfil usuario apeduardo

apeduardo Comentou em 13/11/2014

delicia de conto, gostaria de ter seu comentário nos meus. grande abraço




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


17797 - A Vizinha - Categoria: Coroas - Votos: 12
17817 - O meu sobrinho - Categoria: Incesto - Votos: 25
17937 - Na Varanda com a Tia emprestada - Categoria: Coroas - Votos: 7
21142 - O meu sobrinho e a Mãe - Categoria: Incesto - Votos: 23
21147 - A Descoberta - Categoria: Incesto - Votos: 16
21282 - A Descoberta 2 - Categoria: Incesto - Votos: 9
21475 - A Descoberta 3 - Categoria: Incesto - Votos: 10
21478 - Mãe Submissa - Categoria: Sadomasoquismo - Votos: 13
23932 - Devaneios de Mãe e Filho - Categoria: Incesto - Votos: 9
26074 - Velhos amigos - Categoria: Gays - Votos: 4
32522 - Férias com mamãe - Categoria: Incesto - Votos: 11
32935 - "O Menino" da Mamã - Categoria: Incesto - Votos: 12
42972 - jardim do éden - Categoria: Coroas - Votos: 5
45689 - Hard rock o encontro parte1 - Categoria: Travesti - Votos: 2
48131 - Segredos de Cetim, Esposa Mãe. - Categoria: Incesto - Votos: 12
59206 - Uma garota vulgar - Categoria: Heterosexual - Votos: 6
67087 - Mãe e filho nas asas da noite - Categoria: Incesto - Votos: 17
67184 - A mãe eu e Dora segredos e descobertas - Categoria: Incesto - Votos: 11
69168 - Delírios de uma Boneca recatada - Categoria: Travesti - Votos: 8
78731 - Profundamente na mãe e na vizinha. - Categoria: Incesto - Votos: 6

Ficha do conto

Foto Perfil vanda
vanda

Nome do conto:
Aventuras de uma mãe

Codigo do conto:
56186

Categoria:
Incesto

Data da Publicação:
12/11/2014

Quant.de Votos:
9

Quant.de Fotos:
0


Online porn video at mobile phone


cdzinha depravadaconto erotico casado gaytio iniciando gay contos eroticos gayConto Corno da pra doisconto de sexo com estrupo de uma novinha que chora com o cu arrom.badoPapaimetemaistetas sendo mamadas lactofiliacontos deu mole ele kreuanal com minha filhanua da moz mostra buceta tirando espermaContos erótico meu pau e enorme mas a sogra quisConto erotico papai filhinha novinhadp porno quadrinhocontos papakuconto erótico de sequestrador de mulheresconto erotico comi minha empregada cinquentonacontos eroticos pai e filhinha dengosaconto bi tem um pauzudo me comendoultimos contos sadoxxx cunhada tempo de ferias com cunhadocdzinha novinha so usa microtanguinha videosporno conto enrrabadatesao chefeconto erotico a excurssao 3contodecuzaoquadradinhoerotico sexo no barcontos eroticos minha filha trabalhando e eu dando pro meu genro Contos estrupada pelo soblinho na cadeiapauzudo fudeu a minha avo e ela chorou contos eroticosdesde pequena tomava leite deles contoscantei minha tia pelo zap deu certo conto eroticosultimos contos sadovariedades de conto quadrinho nacional corno manso pornôconto erotico com meninasconto erotico eu meu pai nopunindo filhinha longe da mamae e tirando o cabacinho conto eroticocontos eroticos comendo uma carcereiracontos picantes com animais comendo a cachorraSou magrinha e gosto de rolas enormes contos eróticosdei boa noite cinderela no meu pagrasto pauzudocontos eroticos me comeraoo no onibus quando eubera novinhacontos eróticos dodoi infanciaminha cunha espero meu irmão sai e mim mandou ajudar a ela a apertar o sutiã e eu a cumei sexopadrasto roludo com minha mulher contos eróticoscontos eróticos filhinha novinha gostosa delirando no colo do papaiGay gosando e punhetiandoQuadrinhos porno engravidando mae 2conto erotico entrei na pica comporno Emmylle gostozinhaas gosadasmas q sai pora na cara da putaconto vagabundo arebentou meu cuutimoscontosconto tia cavala nua em casaquadrinhos eroticos joaozinhocontos eroticos o cuzinho assado da filhinhacozou na buseda da filha duas vezezcomtos eroticos tomando banho com meu filhofui cravada no onibus por um taradao dotado contosutimoscontosPorno.pâroasâ.pâr.feteCONTO BUNDAcontos gay em frentando os limitesfran zoofiliaconto erotico desde novinhagibis pono volei sexoal entre uma mamãe e uma titia com bucetas muito deliciosas 2contos eroticos velha gorda e guriso cenas de longas gozadas de longe na porta do cuzinhocontos eroticos ensinar prima e tia tilotarContos eróticos com foto dei a bucta pro meu tio no meio do mato sexo selvagemme leva ali,contos eroticosconto erotico gestante do paifotos amadoras porno lucia gordinhagulusinha sorridende videotraseiro da mae bunduda contos ilustradominha sogra pisou - conto eroticocontos eroticos as amiguinhas da minha esposafodendo a militar no quartel, e ela pede mais. conto eroticocontos eróticos com minha irmanzinhaconto eroticos netinha de saia sentando no colo do avocontos eróticos enganando A sobrinha novinhaEm pe cuxvidio.comchantageado pelo amigo sexo gaySua vizinha.com gordas com o cu todo esfolado i a buceta cheia de porra