CROSSDRESSER PRIMEIRA VEZ



Estava jogando vôlei quando sofri um estiramento muscular. Após examinar-me, o médico indicou um tratamento de massoterapia , dando-me o telefone de uma especialista. Liguei no mesmo dia e marquei consulta para o último horário. Pontualmente , lá estava eu. Preenchi a ficha e fui recebido por uma morena estonteante, de uns trinta e cinco anos, manequim quarenta e quatro. Tinha coxas grossas e media quase um metro e setenta de altura. Cabelos curtos e lisos emolduravam seu belo rosto, em que ressaltavam os lábios carnudo. Exalava sensualidade por todos os poros. Era a doutora Mara, minha terapeuta. Fiquei tão maravilhado com aquela beleza de mulher que só consegui responder com monossílabos às suas primeiras perguntas. Levei alguns instantes para compreender que deveria tirar a roupa e deitar na cama de exames. Ficar nu na sua frente foi um tormento. Ela usava um vestido branco abotoado de cima a baixo, com exceção de dois botões no colo, e exalava um perfume delicioso - perfume de mulher bonita. Meu membro começou a endurecer e foi impossível disfarçar. Notei um brilho em seus olhos, enquanto orientava-me a deitar de bruços na cama. Foi difícil e engraçado tentar ajeitar o pau totalmente rígido, para ficar na posição indicada.
       Logo depois senti a sua mão apalpando a parte posterior da minha coxa esquerda, quase no glúteo, onde se localizava minha contratura. Tive de sufocar o gemido de prazer que estava prestes a escapar da minha boca. Da maneira mais profissional possível, a linda médica esclareceu que o tratamento consistiria em aplicações de ultra-som , massagens , etc. pedindo-me para ficar bem relaxado. Começaríamos com uma sessão de ultra-som. Enquanto a Dra. Mara preparava os aparelhos, pudemos conversar e ficamos sabendo algumas coisas um do outro. Ela falou sobre a escolha de sua profissão, sobre seu casamento ( fez mil elogios ao marido ) e filhos. Depois da aplicação, Dra. Mara espalhou óleo sobre a região lesada e começou a fazer uma massagem suave. Suas mãos deslizavam por toda a extensão da minha coxa, chegando até o começo das nádegas. Um arrepio de prazer percorreu meu corpo. Minha pele ficou eriçada. Obviamente a médica não podia deixar de perceber o quanto suas mãos me excitavam. Continuou a massagear-me com toda a paciência do mundo e tive a sensação de que sua técnica era mais erótica que medicinal. Por isso, não foi assim tão grande a minha surpresa quando senti, com inusitado prazer, sua mão deslizar pelo meio das minhas nádegas. Dra. Mara percebeu que eu havia gostado e pareceu ficar satisfeita. Começou a percorrer a minha bunda com as pontas dos dedos, que escorregou pelo rego das nádegas e deteve-se no meu cuzinho, pressionando-o , ora levemente , ora com força. De repente , enfiou o dedo inteiro, fazendo-me rebolar gostosamente. Foi um pouco estranho ouvi-la dizer:
       - Agora rebola feito uma putinha....
       Mas obedeci, gemendo de prazer. Vi a médica levantar o vestido. Ao afastar a calcinha branca, revelou uma boceta totalmente depilada. Enquanto fodia meu cú com os dedos de uma mão , masturbava-se com a outra. Gozei de forma inédita. Despejei mesmo uma quantidade incomum de esperma sobre a cama. E eu nem ao menos tocara no meu pau ! Precisamos de um tempo para nos recuperar de toda aquela loucura. Dra. Mara limpou-me com uma toalha e pediu com um olhar maroto e cúmplice, que a perdoasse. Que mulher ! Ia ser difícil encontrar outra igual.- Não há o que perdoar - retruquei - Foi muito bom... estou louco para possuí-la... de todas as formas.
       Ela sentou no sofá e pediu para que me apressasse, porque estava quase na hora de fechar o prédio. Terminei de me vestir.
       Gostaria muito de ser tua... de todas as formas - disse a doutora, e olhando para mim, elogiou
       É um belo pau.
       Em meio aos gulosos beijos que trocavamos , Mara confessou que jamais havia traído o marido, a quem amava muito. Tinham porém uma fantasia sexual. Se eu participasse, ela poderia entregar-se para mim com toda a vontade e paixão que estava sentindo. Sem parar de acariciar os seios e as pernas daquela maravilhosa morena, que tanto tesão me despertava, prometi solenemente atender a todos os desejos do casal, desde que pudesse possuí-la demoradamente. Marcamos o retorno para dali a dois dias, Quando então , Mara me diria o que eu deveria fazer para realizar os desejos dela e do marido. Nessa noite, só consegui dormir depois de me masturbar duas vezes. A médica e as loucuras que havíamos feito no seu consultório não saíam de meu pensamento. Na Quarta-feira, pontualmente as dezenove horas, fui recebido pela doutora, que havia dispensado a atendente. Deu-me um beijo que fez meu pau endurecer-me e mandou-me tirar a roupa. Enquanto aplicava o ultra-som , explicou-me tudo : o maior desejo dela e do marido era ter um homem na cama junto com eles ; um homem macho que a fizesse gozar bem gostoso e , ao mesmo tempo aceitasse ser uma fêmea completa para Nélson. Contou que a muito tempo vinham procurando um travesti, mas tinham medo das doenças . Como eu havia adorado ter o dedo seu dedo todo enterrado no meu cuzinho, achou que eu aceitaria a participação do marido.
       Eu não disse sim nem não. Mara deu-me vários beijos, com suavidade, e abriu o vestido. Dessa vez estava sem calcinha. Um leve rubor tingiu suas faces quando perguntou-me se poderia depilar-me também. Disse que fazia parte da fantasia. Eu também deveria usar roupas bem femininas, para que não faltasse nenhum detalhe e Nelsón pudesse Ter a sensação de estar com um travesti. Concordei, mas com a condição de que ela me deixasse dar um beijinho na sua boceta. A morena afastou as coxas e chupei com gula , deliciando-me com o perfume e com o sabor daquela gruta melada de tesão. Mara gozou na minha boca, gemendo e esfregando a vagina na minha cara. Depois de depilar e meu rego e o períneo ( não foi preciso depilar minha bunda, pois ela já é lisinha) , a médica ligou para o marido, avisando que eu tinha concordado com tudo e que já estavamos a caminho. Fomos para sua casa e entramos direto na suíte do casal. Nelsón estava tomando banho no banheiro social. Mara fez-me tirar a roupa e tomar uma ducha. Passou um perfume suave nas minhas costas e nas minhas nádegas e começou a maquiar-me. Finalizou o trabalho com um baton vermelho e uma peruca de cabelos longos. Vesti uma cinta-liga , meias transparentes de seda preta e calcinha tipo fio dental. Por cima , um vestido de noite, curtíssimo , também preto que realçava minhas formas curvilíneas. E para fechar , coloquei um sapato de salto alto. Mara tomou uma ducha e colocou sobre o corpo apenas um sensual robe vermelho. Fomos para a sala , onde Nélson , de roupão , já nos esperava com dois drinques na mão. Deu um gostoso beijo de língua na esposa que me apresentou :
       - Minha amiga, Mayyra... de quem te falei.
       A maneira , ao mesmo tempo simpática e maliciosa com Nélson olhava para minhas coxas logo me cativou. Era um homem muito bem apessoado e comunicativo, moreno claro e os cabelos de suas têmporas estavam grisalhos. Ele apagou a luz da sala , que ficou iluminada apenas por um abajur de canto, e colocou uma música lenta no aparelho de som. Tirou-me para dançar com tanta simplicidade que não me deu chance de recusar. De repente, vi-me em seus braços. Suas mãos exploravam, minhas costas e alcançaram minha bunda. Senti seu membro duro, latejando e fiquei arrepiado. Desci a mão para fazer-lhe uma carícia. Nelson beijou meu pescoço e mordiscou minha orelha. Parou de dançar a abriu o roupão para que eu pudesse admirar seu dote. Era um caralho rosado e comprido. Estava totalmente rijo. Hipnotizado, ajoelhei-me, peguei-o pelas bolas e aproximei minha boca. Após beijar carinhosamente a cabecinha, chupei-o ao longo de toda a sua extensão. Dali a pouco, Nelson afastou minha cabeça dizendo que se continuasse, acabaria gozando e ainda era muito cedo. Desembaraçando-se do roupão, tirou meu vestido e minha calcinha, deixando-me apenas de cinta-liga e os sapatos. Levou-me para o quarto, deitou-me na cama e deu-me um longo beijo na boca. Depois desceu para meus mamilos e continuou lambendo meu corpo, até alcançar meu membro. Recebi seus carinhos com extremo prazer, principalmente quando Mara juntou-se ao marido, usando também a boca , levando-me às nuvens com uma fantástica chupeta. Puxei a médica para cima de mim e deliciei-me com sua boceta, fazendo-a gozar abundantemente. Enquanto Mara relaxava, eu e Nelson invertemos a posição do corpo e passamos para um delicioso sescenta e nove. O tesão tornou-se incontrolável quando ele largou o meu pau e começou a chupar meu cuzinho. Imediatamente, fui ficando de quatro. Depois de lambuzar bem meu ânus com saliva, Nelson botou a camisinha e ajudado pela esposa, começou a forçar entrada no meu cuzinho virgem, que estava louco para ser possuído. Soltei um gemido quando entrou mais fundo. Eu contraía os músculos em volta do pau e rebolava, fazendo-o entrar e sair. Logo veio o gozo farto e quente de Nelson que depois de arranhar e morder minhas costas, praticamente desfaleceu em cima de mim. Não deixei que tirasse o pau até que amolecesse completamente e saísse sozinho. Puxei Mara para junto de mim, beijei-a na boca e abri bem suas pernas. Depois de lamber sua boceta, botei uma camisinha e penetrei-a com estocadas vigorosas. Só parava para mudar de posição, pois aquela não era uma fêmea para se gozar rápido. Após deliciosas acrobacias, depois que Mara já havia gozado várias vezes , explodi num formidável orgasmo , o melhor de toda a minha vida, tendo uma mulher maravilhosa nos braços e ao lado um grande cara, seu marido, assistindo a tudo.
Foto 1 do Conto erotico: CROSSDRESSER PRIMEIRA VEZ

Foto 2 do Conto erotico: CROSSDRESSER PRIMEIRA VEZ

Foto 3 do Conto erotico: CROSSDRESSER PRIMEIRA VEZ

Foto 4 do Conto erotico: CROSSDRESSER PRIMEIRA VEZ

Foto 5 do Conto erotico: CROSSDRESSER PRIMEIRA VEZ


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario giuser

giuser Comentou em 03/01/2016

Delicia tbm topo fazer uma coisa dessa Votdo.




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


44132 - SONHO DE TODO CD - Categoria: Fetiches - Votos: 28
44218 - Primeira vez - Categoria: Fantasias - Votos: 19
44992 - Ana Luiza - Categoria: Travesti - Votos: 25
45242 - O garanhão que virou fêmea - Categoria: Fantasias - Votos: 23
45569 - Fui feito de fêmea - Categoria: Travesti - Votos: 19
45669 - A Minha Amiga Sandra - Categoria: Travesti - Votos: 9
45779 - Fantasia realizada - Categoria: Travesti - Votos: 11
76491 - Mulher da minha mulher - Categoria: Fetiches - Votos: 12

Ficha do conto

Foto Perfil adrianny cd
adrianny-ksd-cd

Nome do conto:
CROSSDRESSER PRIMEIRA VEZ

Codigo do conto:
76484

Categoria:
Fantasias

Data da Publicação:
31/12/2015

Quant.de Votos:
15

Quant.de Fotos:
5


Online porn video at mobile phone


cu cheio de leite pro corno contosmenina.motara.abucetacomi uma garotinha contosquadrinhos porno vovo voieurquadrinhos eróticos confusão incestuosa parte1contos eroticos do meu filho dotado me comendoay papi volume 17 parte 3xvidiospirocasInseminação Contos Eroticossexo Com um virgem no carroContodebucetagrossopenesvedeo porno buceterosconto esposa arrombadasmaridoporno na noite quarta feira minha mae fode cmgxxx comics bulmaConto inseminando a sobrinhacontos eroticos meu primo doente mental comeu minha bucetacontos de crentes caretescontos quadrinhos corno bissexualconto erotico peixe com porracontos eroticos meu padrasto me comeu com seu pauzaocavalo goza dentro de mulherutimoscontosjenny e Kelly hentaicontos eroticos de papai chupando filha depois veio a do avôSexo.pirralho.fode.a.empregada.da.maeComtoserotico msna senzala hq eróticoconto erotixo colega do meu padrinho maduro mim arronbou sexo gayconto buceta filhaconto vendo o pênis do paiContos de zoofilia mulheres treladascontos com fotos cfm casais com dotadoscontos erotico-inteirinha pra vocêutimoscontosquadrinhos eroticos cunhada carenteconto erotico gay: arrombado por japonescontos eroticos o matutocontos eroticos filho comendo a buceta ta maeProfessora safadacheirinho de buceta do papai emfotos e contosutimoscontoscontos erofotos da minha cunhada gostosacontos eroticos/comeu novinha peludinhaxxx comics bulmacontos eroticos de cunhada fudendo com o tiopai comendo o cu do filhobundudo virgemconto gay garganta profundaru esrou gozando painhoConto Erotico Sonhava com a cunhada, desvirginei a sobrinha iicontos com fotoscfm de casadas bucetudascasadas camisinhacontolojas gloryroleconto erotic de mulhures que deu o cuarmei para minha namorada santinha ser arrombadacontos eróticos com tiaquero ve comto erotico de homem que chupa abucetinha da bebe virgem nabanheracontos eróticos eu recem casado e o patrao comeu minha mulhercontos eróticos com chupadas em buceta peludahentai gravida de saposmenina viciada em gozarcontos eroticos crentinhas virgemconto erotico eu casada deixei o primo do marido goza na minha bocaben 10 fudenda luci hetai contos eroticos ver imagensConto eurotico. Sedutoras e marentasos. simpsons .em. porno. em. quadrinhoconto erotico novinha maloqueiroconto erotico meu pai me ensinou a ser machonovinha fazendo sexo peladinha daqui 18 anos bem alegrinhapokemon eroticoContos eroticos odio e amor